HOMESERVIÇOS PRESTADOS NO CONSULTÓRIOORIENTAÇÃO PSICOLÓGICA ONLINEMATÉRIAS PUBLICADASCURRICULUM RESUMIDOPESQUISAS EM ANDAMENTOFALE CONOSCO

LER MATÉRIALER MATÉRIALER MATÉRIALER MATÉRIALER MATÉRIALER MATÉRIALER MATÉRIALER MATÉRIA
CFP - Conselho Federal de Psicologia
BLOGSPOT EDYLEINE BENCZIKFACEBOOK EDYLEINE BENCZIKTWITTER PSIQUÊ

Avenida Tiradentes, 200 - Centro - São Roque - SP - (11) 4712-5870
Rua Artur de Azevedo, 1767 - cj 142 - 14º andar - Ed Altamura Premium Tower - Pinheiros - SP - (11) 998405476
Rua Caracas, 894 - Campolim - Sorocaba
benczik@ig.com.br - edyleinebenczik@gmail.com


O Transtorno de Déficit de Atenção/ Hiperatividade e o processo escolar

O TDAH é um problema de ordem neurobiológica,
com alteração na Função Executiva do Cérebro (Lobo Frontal); Essa alteração
promove dificuldades para tomar iniciativa, planejar, organizar, estabelecer
prioridades, monitorar o tempo, prazos, declínio rápido de motivação E problemas
com a memória.

    O portador deste transtorno, freqüentemente: não presta atenção a detalhes ou comete erros por omissão em atividades escolares, de trabalho ou outra; tem dificuldade para manter a atenção em tarefas ou atividades lúdicas; parece não ouvir quando lhe dirigem a palavra; não segue instruções e não termina seus deveres escolares, tarefas domésticas ou deveres profissionais; agita as mãos ou os pés ou se remexe na cadeira; abandona sua cadeira na sala de aula ou outras situações nas quais se espera que permaneça sentado; fala demais, corre ou escala, não sabe
aguardar a sua vez, é impulsivo
    Para se fazer o diagnóstico deve haver claro comprometimento causado pelos sintomas em pelo menos dois contextos (p. ex., na escola, ou no trabalho e em casa).

    O IDAH causa prejuízos no desenvolvimento escolar em função das demandas da escola, tanto na área da aprendizagem, quanto na área de interação social; pois a desatenção e a falta de autocontrole, se intensificam em situações de grupo (sala de aula), dificultando a percepção seletiva de estímulos relevantes, a estruturação e a execução adequada das tarefas, prejudicando o desempenho escolar e a interação com as pessoas;
As pesquisas mostram que o impacto deste quadro na vida escolar é intenso (Barkley, 2002).
• 1/3 ou mais das crianças com IDAH ficará para trás na escola, no mínimo uma série durante a sua vida escolar;
• 35% nunca completará o ensino médio;
• As notas estão significativamente abaixo de seus colegas da classe;
• Mais da metade das cri¬anças com IDr/.H apresenta comportamento opositivo, 15 a 25% dessas crianças serão suspensas e até expulsas da escola, devido a problemas de conduta;
• a criança com IDAH corre risco de fracasso escolar 2 a 3 vezes maior do que outras crianças sem IDAH, mas com inteligente equivalente.
• 20 a 30% das crianças com IDA.H apresentam dificuldades específicas, que interferem na sua capacidade para aprender
    
      Das principais dificuldades escolares do aluno com IDAH pode-se citar:
Discrepância entre potencial intelectual e o desempenho escolar; Falha important na produção escrita; Lentidão para realizar cálculos e atividades onde tenha que escrever, traçar ou copiar; Embora tenha bom vocabulário, apresenta dificuldade para compreender e interpretar textos; Esquece instruções,
. direções, lições; A retenção geral de informações é difícil, não consegue se lembrar de informações se não tiver pistas visuais, trabalha melhor no plano concreto.

Um encaminhamento:
O retrato vivo do TDAH na escola o papel da escola e do professor
A Equipe escolar deve ter conhecimento, mesmo que superficial sobre IDAH, e os pro¬fessores devem receber apoio e treinamento. Ao invés de punir, pode-se ajudar a criança a não cometer erros e estabelecer urna boa comunicação com a família. Mais importante do que o método, ou do que a instalação física da escola, está a figura do professor. Este desempenha um papel critico na adaptação escolar da criança;

    Ele também deve ter uma noção básica sobre IDAH (manifestação e conseqüências na sala de aula), ou ainda, demonstrar boa vontade para aprender a re peito;
() professor ideal é aquele de estilo democrático, compreensivo e empático, ele oferece apoio, incentivo e ajuda pessoal, é organizado e administra bem o tempo, É flexível e maneja os vários tipos de tarefas, e principalmente descobre meios de auxiliar o aluno a atingir as suas metas.

    Já o ambiente escolar deve ter uma rotina organizada e previsível, com regras bem claras e definidas; Pode-se alterar a disposição das carteiras de vez em quando; A criança deve se sentar próxima do professor; Utilizar as novidades para ajudar no aumento do interesse para aprender; Intercalar as atividades de grande e de pouco interesse; Calcular um tempo breve para a realização das tarefas; O professor deverá permitir a participação ativa da criança; Estabelecer conseqüências razoáveis e realistas para o não cumprimento de tarefas;     

     Focalizar mais o processo (compreensão de um conceito) do que o produto (realização de 30 exercícios); Incentivar, elogiar, recompensar todo o bom comportamento e Arrumar um par-tutor para o aluno com IDAH
Considerações impor¬tantes

    A criança com TDAH apresente necessidades educacionais específicas que devem ser aten¬didas. Devemos considerar o atual sistema educacional que é homogêneo e inflexível Os objetivos são iguais para TODOS, as atividades são as MESMAS, e devem ser feitas ao MESMO TEMPO. Há a necessidade da escola, consideraras diferenças individuais, estando aberta às diversidades, e adequar recursos e metodologias aos aluno que deles necessitam.

    Não existe receita pronta para se lidar com o quadro de IDAH, ainda prevalece o bom senso, o interesse e a disponibilidade do adulto; Uma equipe integrada (pais, professores, e profissionais de saúde) trabalhará com maior coesão, tendo a chance de obter melhores resultados.
Edyleine Bellini Peroni Bencziké Mestre em Psicologia Escolar/PUCCAMP, Doutora em Psicologia da Aprendizagem, do Desenvolvimento e da Personalidade/ USP, Psicóloga do.Ambulatório de Distúrbio da Aprendizagem e Déficit de Atenção do Instituto da Criança da Faculdade de Medicina da Uni¬versidade de São Paulo/ICR -HCFMUSP
e-mail.:benczik@igcom.br

 

Livros Publicados:

Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade: o que é? Como ajudar? Editora Artes Médicas

Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade: Um guia de orientação para profissionais. Editora Casa do Psicólogo

Escala para o transtorno de déficit de atenção /hiperatividade:
Versão para Professores. Editora Casa do Psicólogo.